Monthly Archives

maio 2018

REGRAS A SEREM LEMBRADAS NA HORA DE PEDIR A CONTA

By | Publicação

Escrito por: Lenir Nunes – Headhunter e Especialista em Carreira

Há uns anos atrás, me atrevi a escrever um artigo sobre “como negociar sua saída”. Esse artigo surgiu pois estava conduzindo dois processos para vagas de Gerencia Sênior e em ambos os casos percebi que haviam profissionais que estavam “usando” o convite da futura empresa para negociar uma boa permanência na atual. Nem preciso dizer que não deu muito certo. Mas isso é outra história.

No entanto, diante de um cenário turbulento, onde muitos profissionais ainda não estão atentos em como lidar com a abordagem de headhunters para um novo desafio, muito menos que cuidados tomar neste momento de negociação de sua saída, gerando muitas vezes um desgaste em sua própria imagem no mercado.

Aqui vão algumas dicas em como fazer esse processo ser menos doloroso:

  • Tomou a decisão de sair? Chame seu chefe numa reunião reservada. É respeitoso que ele seja a 1ª pessoa a saber de sua decisão. Se não houver como ser pessoalmente, em últimos casos faça-o por telefone. Mas nunca via e-mail ou Whats App.
  • Deixe claro sua data limite para desligar-se de suas atividades. Mas nunca, nunca saía imediatamente apenas por que a sua futura empresa está te pressionando porque precisa urgente dos seus trabalhos. Seja justo e negocie um prazo aceitável, duas ou três semanas são suficientes na maioria dos casos.
  • Após essa conversa, se tiver alguém (um colega ou seu chefe) para passar suas funções, ótimo. Do contrário, se a chegada do seu substituto vai demorar um pouco, tente ser o mais disposto possível nesta passagem e procure registrar os principais processos a repassar, separar arquivos, contatos, etc. Essa atitude mostrará seu nível de comprometimento.
  • Esteja claro que é apenas um rompimento de relação profissional, não o término de um relacionamento amoroso. Então cuidado com os exageros, o mundo dá voltas, e seu ex chefe ou colegas continuam fazendo parte de sua rede e são fontes de boa referência (ou não). Evite mensagens de despedidas muito emocionais ou melancólicas, ou mesmo sair deletando os colegas das redes sociais, bloquear telefone, entre outras atitudes que demonstrem pouca maturidade ou gerem mágoas.
  • Saiu da empresa? Tome cuidado ao fazer comentários ardilosos sobre seu ex chefe, ex colegas, refeitório, clima da empresa, seja o que for…. o que você diz faz parte da imagem que você constrói, ou seja, sua reputação.

Qual a forma de como você quer ser lembrado pelos seus ex colegas de trabalho? Deixando uma bela marca, ou uma marca manchada?

Para alguns, certamente será uma história com boas lembranças, para outros, infelizmente tampouco serão lembrados.

“Fique atento!!! Seus contatos são válidos para o agora e para o futuro.”

By | Publicação

Escrito por: Juliana Pasini – Consultora de Executive Search

Em um outro artigo, dei uma pincelada no que diz respeito ao “ouvir o profissional headhunter ou de recursos humanos, que faz contato com você”.  Pode ser que não seja de seu interesse agora a oportunidade oferecida, mas este contato pode gerar frutos futuramente.

Pois bem, senti a necessidade de voltar a falar sobre o tema por perceber que isso ainda não está claro para muitos profissionais.

Nos contatos realizados ultimamente é possível verificar o não interesse dos profissionais em ouvir, sem nem saberem ao certo o que a oportunidade tem a oferecer. Ainda, algo que tem incomodado bastante não só a mim, mas a outros Consultores que tenho conversado, é a inflexibilidade para dialogar ou mesmo realizar entrevistas em horários comerciais.

Este é um fator que pesa, pois acreditamos não estar lidando com profissionais com pouca experiência e sim, com profissionais maduros e esclarecidos.

Entende-se muitas vezes que esta restrição de horário faz sentindo e, tentamos sim nos adequar ao que o profissional pode nos oferecer no momento. Mas há aqueles que não flexibilizam em nenhum aspecto, talvez por achar que é uma abordagem superficial.

Diante desse cenário fico me questionando: será que está mesmo interessado em fazer uma mudança? Será que há apenas o receio de não querer se expor? Será que essa pessoa acredita que passará toda sua vida na empresa que se encontra? Será que devo insistir…??

Cada um sabe de seus motivos e prioriza o que entende ser importante para si no momento. Mas, que tenhamos cuidado de não nos fecharmos demais para o mundo e nos tornarmos inacessíveis, esse é um grande risco, afinal não sabemos o dia de amanhã. Hoje podemos ser um candidato trabalhando, amanhã um candidato em busca de trabalho ou um candidato que se tornou cliente.

Jamais esqueça: networking é fundamental, independentemente de sua situação profissional.